• Facebook
  • Feed RSS





 Conservação dos desenhos de Meyer Filho

 

Projeto realizado com o apoio do Estado de Santa Catarina, Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Fundação Catarinense de Cultura, FUNCULTURAL e Edital Elisabete Anderle/2014.

Período de realização:

O projeto iniciou no dia 01 setembro de 2015, após o repasse em 25 de agosto de 2015 do aporte financeiro do Edital Elisabete Anderle, e foi finalizado em 30 de agosto de 2016, somando os doze meses programados.

 

Proposta realizada:

O projeto consistiu na higienização, conservação e acondicionamento das obras de arte em papel do artista plástico catarinense Ernesto Meyer Filho (Itajaí, 1919 – Florianópolis, 1991), através da contratação de serviços de profissionais especializados, durante o período de doze meses, realizado pelo Instituto Meyer Filho (IMF), em Florianópolis.

O projeto priorizou os desenhos, por não apresentarem boas condições de conservação e exposição pública. O acervo encontrava-se com uma série de problemas, diagnosticado por profissionais do Ateliê de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis (ATECOR), vinculado à Fundação Catarinense de Cultura, como ataque de fungos e térmitas, sujidades generalizadas, fixações indevidas com cola, fitas adesivas, rupturas e rasgos. O acervo encontra-se na reserva técnica do IMF, em Florianópolis, acondicionado em um arquivo de 4 gavetas e em 2 mapotecas.

O acervo envolvido neste projeto é composto por cerca de 1.000 (mil) desenhos preto e branco e coloridos, com dimensão mínima de 6 cm x 7 cm e máxima de 67 cm x 50 cm, que necessitavam de tratamento urgente. Foram elaborados por Meyer Filho com as técnicas de nanquim, bico de pena, aquarela, acrílica, crayon, lápis de cera, caneta esferográfica, colagens, dentre outros procedimentos, todos relativos à produção artística da década de 40 à 80 do século XX.

Ao longo de sua trajetória, Meyer Filho teve o cuidado de guardar obras representativas de suas mais significativas fases criativas, complementadas com um vasto conjunto de recortes de jornais e revistas, correspondências, catálogos, dentre outros documentos. Este conjunto de obras e documentos guarda importantes fatos da memória do movimento artístico de Santa Catarina, especificamente do surgimento e consolidação da arte moderna em Santa Catarina, do qual Meyer Filho foi um dos pioneiros.

O projeto enfatizou o valor do desenho enquanto elemento de construção artística e as especificidades da obra de Meyer Filho. Trata-se de um acervo de relevância artística e histórica, pela sua representatividade e contribuição não somente à história da arte moderna catarinense, mas brasileira, ainda não devidamente pesquisado e divulgado. A obra de Meyer Filho, como enfatiza os críticos de arte João Evangelista Vieira e Péricles Prade, apresenta uma vertente criativa incomum na produção visual brasileira de sua época.

Convênio para fins de estágio curricular com a Universidade Federal de Santa Catarina:

O Instituto Meyer Filho firmou convênio através do Oficio n. 040/2016/DIP para fins de estágio curricular com o Departamento de Integração Acadêmica e Profissional, da Pró- Reitoria de Ensino de Graduação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), através da oferta de 3 (três) vagas remuneradas a acadêmicos do Curso de Museologia daquela instituição. Desta forma, O IMF oportunizou aos estudantes uma complementação de sua formação e estudos na área de museologia, permitindo o contato com procedimentos de conservação na área de artes visuais. Os acadêmicos selecionados pela coordenação técnica do projeto foram Anna Júlia Borges Serafim, Raisa Ramoni Rosa e Rogério Victor Satil Neves.


Equipe técnica:

Coordenadora técnica: conservadora-restauradora Cláudia Philippi Scharf


Assistente técnica: conservadora-restauradora Rita de Cássia Castro da Cunha

Estagiários do curso de Museologia da UFSC: Anna Júlia Borges Serafim, Raisa Ramoni Rosa e Rogério Victor Satil Neves.


Registro fotográfico: Pedro Alípio Nunes

 

Objetivo geral alcançado:

Os desenhos foram higienizados, conservados e acondicionados adequadamente na reserva técnica do Instituto Meyer Filho, em Florianópolis, no prazo estipulado de doze meses.

Objetivos específicos alcançados:

1) Foi elaborada a documentação dos desenhos em papel através de ficha de identificação/diagnóstico do estado conservação, especificando a proposta de tratamento e o tratamento realizado;

2) Os desenhos foram documentados por meio de registro fotográfico, bem como os procedimentos de conservação realizados;

2) A conservação preventiva se deu através de procedimentos de higienização das obras e do acondicionamento no mobiliário de armazenamento existente no Instituto Meyer Filho, formado por duas mapotecas, um arquivo vertical e uma estrutura trainel de ferro;

3) Foram confeccionados envelopes em papel alcalino (filiset) para acondicionamento das obras da mapoteca e adquiridas pastas suspensas poliéster 50 micra e cartão alcalino da marca Sérgio Burgi para o arquivo vertical.

4) A conservação curativa das obras se deu por meio da higienização e remoção de sujidades, de suporte inadequado, fitas e adesivos que prejudicavam a boa conservação das obras;

5) Foi realizada a capacitação dos três estagiários para realização de procedimentos de conservação preventiva e curativa;

6) A equipe do Instituto Meyer Filho recebeu orientações no sentido de elaborar cronograma para execução de procedimentos de conservação preventiva, a ser implantado após a conclusão do projeto;

7) Foi realizado controle e monitoramento da temperatura e umidade relativa do ar na reserva técnica através de ficha de avaliação diária;

8) O acesso e a pesquisa ao acervo foi dinamizado através do seu correto acondicionamento e da implantação de normas de disponibilização das obras;

9) A democratização do acesso as obras restauradas do artista foi realizada por meio da atualização e disponibilização no site do Instituto Meyer Filho – http://www.meyerfilho.org.br/.

 

Currículo Equipe técnica:

 

Cláudia Philippi Scharf

Doutorado em andamento em Artes Visuais/UFBA. Mestrado em História da Arte/Université du Québec à Montréal, Canadá. Especialização em Conservação-Restauração de Bens Culturais Móveis/ CECOR-UFMG. Graduação em Arquitetura e Urbanismo/ UFSC.

Rita de Cássia Castro da Cunha

Especialista em Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural pela Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz-RJ. Possui Curso em Conservação e Restauro de Documentação Gráfica pela Associação Brasileira de Encadernação e Restauro - ABER/SP e Graduação em Tecnologia em Conservação e Restauro - Bens Culturais pela Universidade Estácio de Sá/RJ.

Anna Julia Borges Serafim

Graduanda em Museologia na Universidade Federal de Santa Catarina. Estágio atual no Instituto Meyer Filho (estágio obrigatório). Estágios Anteriores: MArquE (Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade Federal de Santa Catarina)

Rogério Victor Satil Neves

Graduação em andamento em Museologia na Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC. Estagiário do Arquivo- IPHAN-SC e Conservação do Acervo Fotográfico do Colégio de Aplicação. Mediador na Exposição Joan Miró, no MASC.

Raisa Ramoni Rosa

Graduação em andamento em Museologia na Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, onde cursou as disciplinas de Preservação e Conservação de Bens Culturais I e II. Organização de Espaços Paisagísticos no SENAC.

 

 

 

 

 

 

 

Clique aqui e veja imagens e informações do Lançamento do livro ABACV, SJEAG, SIZEZ, SOCYO, SNEPA, MABUI E MACAC - Arquivos Implacáveis de Meyer Filho e da Exposição de desenhos “Arquivos Implacáveis”,

 

E abaixo veja mais fotos do processo de conservação dos desenhos de Meyer Filho.

Fotos

Desenhos restaurados Meyer Filho