• Facebook
  • Feed RSS





 

Conservação e Restauro das obras em papel de Meyer Filho

Projeto realizado com o apoio da Lei Rouanet - Pronac 133635.

Patrocinadores:

Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina S/A 

Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul/BRDE

ST Importações Ltda. 

Período de realização: Janeiro de 2015 a Dezembro de 2016

 

Proposta em andamento:

O projeto visa a higienização, conservação, restauro e acondicionamento das obras de arte em papel do artista plástico catarinense Ernesto Meyer Filho (Itajaí, 1919 – Florianópolis, 1991), durante o período de doze meses, realizado pelo Instituto Meyer Filho (IMF), em Florianópolis. O projeto prioriza os desenhos, por não apresentarem boas condições de conservação e exposição pública.

O acervo, formado por desenhos, estudos e rascunhos foi elaborados por Meyer Filho com as técnicas de nanquim, bico de pena, aquarela, acrílica, crayon, lápis de cera, caneta esferográfica, colagens, dentre outros procedimentos, todos relativos à produção artística dos anos 1940 a 1991. É composto por cerca de 2.400 desenhos preto e branco e coloridos, com dimensão mínima de 6 cm x 7 cm e máxima de 67 cm x 50 cm

As obras possuem uma série de problemas e foram diagnosticadas por profissionais do Ateliê de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis (ATECOR), vinculado à Fundação Catarinense de Cultura. Os procedimentos de conservação-preventiva empregados nas obras envolvem exame organoléptico, identificação de degradações e preenchimento de ficha de diagnóstico/tratamento, higienização com trincha macia, consolidação de rupturas e planificação de deformações. O restauro envolve remoção de papéis e fitas aderidos, planificação, confecção de enxertos e remendos, aplicação de velaturas em papel japonês e restauro cromático de obras.

O conjunto de obras envolvido no projeto é de grande importância e revela importantes momentos da trajetória poética de Meyer Filho e também do movimento artístico de Santa Catarina, especificamente do surgimento e consolidação da arte moderna em Santa Catarina, do qual Meyer Filho foi um dos pioneiros. Ao longo de sua trajetória, o artista guardou obras representativas de suas fases criativas, o que permite uma ampla leitura de seu legado. Trata-se de um acervo de relevância artística e histórica, pela sua representatividade e contribuição não somente à história da arte moderna catarinense, mas brasileira, ainda não devidamente pesquisado e divulgado.

Visando o acesso e estímulo à pesquisa das obras tratadas está sendo elaborado um banco de dados com documentação fotográfica até o final do projeto, em dezembro de 2016. Neste banco de dados constarão informações sobre o processo de conservação e restauro de cada obra, conforme consta na Ficha Diagnóstico/Tratamento. Informações complementares indicarão aspectos da obra, como sua importância na trajetória do artista, críticas recebidas e locais e contextos em que foi exposta ao público, de modo a fornecer subsídios para pesquisas futuras no acervo do artista.

Convênio para fins de estágio curricular com a Universidade Federal de Santa Catarina:

O Instituto Meyer Filho firmou convênio através do Oficio n. 040/2016/DIP para fins de estágio curricular com o Departamento de Integração Acadêmica e Profissional, da Pró- Reitoria de Ensino de Graduação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), através da oferta de 3 (três) vagas remuneradas a acadêmicos do Curso de Museologia daquela instituição. Desta forma, O IMF oportunizou aos estudantes uma complementação de sua formação e estudos na área de museologia, permitindo o contato com procedimentos de conservação na área de artes visuais. Os acadêmicos selecionados pela coordenação técnica do projeto foram Anna Júlia Borges Serafim, Raisa Ramoni Rosa e Rogério Victor Satil Neves.


Equipe técnica:

Cláudia Philippi Scharf

Coordenadora técnica: Conservadora-restauradora.

Doutorado em andamento em Artes Visuais/UFBA. Mestrado em História da Arte/Université du Québec à Montréal, Canadá. Especialização em Conservação-Restauração de Bens Culturais Móveis/ CECOR-UFMG. Graduação em Arquitetura e Urbanismo/ UFSC.

Rita de Cássia Castro da Cunha
Assistente técnica: conservadora-restauradora Rita de Cássia Castro da Cunha

Especialista em Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural pela Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz-RJ. Possui Curso em Conservação e Restauro de Documentação Gráfica pela Associação Brasileira de Encadernação e Restauro - ABER/SP e Graduação em Tecnologia em Conservação e Restauro - Bens Culturais pela Universidade Estácio de Sá/RJ.

Estagiários do curso de Museologia da UFSC:

Anna Julia Borges Serafim
Graduanda em Museologia na Universidade Federal de Santa Catarina. Estágio atual no Instituto Meyer Filho (estágio obrigatório). Estágios Anteriores: MArquE (Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade Federal de Santa Catarina)

Rogério Victor Satil Neves
Graduação em andamento em Museologia na Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC. Estagiário do Arquivo- IPHAN-SC e Conservação do Acervo Fotográfico do Colégio de Aplicação. Mediador na Exposição Joan Miró, no MASC.

Raisa Ramoni Rosa
Graduação em andamento em Museologia na Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, onde cursou as disciplinas de Preservação e Conservação de Bens Culturais I e II. Organização de Espaços Paisagísticos no SENAC.

Pedro Alípio Nunes
Registro fotográfico.

Luana Leite
Gestão e alimentação do site do Instituto Meyer Filho.